Canal de atendimento atendimento@medaula.com.br
(31) 3245-5781 (31) 9 8959-6573
Rua Grão Pará, 737 Conjunto: 1101 - 11o andar, BH
CNPJ: 07.254.304/0001-24

Parasitoses Intestinais

25 de junho, 2020

As parasitoses intestinais, depois de AIDS e tuberculose, é o tema mais cobrado de infectologia nos concursos. Os examinadores sempre colocam dicas que falam a favor de uma parasitose específica. Além disso, costumam ser diretos e perguntam apenas qual a droga mais indicada para o tratamento de determinado parasita.

Exemplo de Questão:

HNMD – Uma mulher grávida é encaminhada ao ambulatório de clínica médica com quadro de diarreia e diagnóstico, pelo exame de fezes, de Ascaris lumbricoides. O medicamento de escolha neste caso é:

(…)

Para os concursos, você precisa saber os itens mais cobrados das parasitoses intestinais. Os helmintos (vermes) são os grandes determinantes de eosinofilia no hemograma, enquanto que os protozoários não desencadeiam eosinofilia. Nem sempre as parasitoses cursam com dor abdominal ou diarreia, a maioria dos quadros é assintomática. Em relação aos ciclos, tenha em mente o seguinte: protozoários: cisto -> trofozoíta -> cisto; helminto: ovo -> larva -> verme -> ovo. O diagnóstico geralmente se faz com três amostras de exame parasitológico de fezes.

O examinador sempre coloca uma dica sobre o parasita:

  • Ancylostoma duodenale: anemia ferropriva;
  • Trichocephalus trichiurus: prolapso retal com diarreia sanguinolenta;
  • Giardia lamblia: síndrome disabsortiva (diarreia malcheirosa, plenitude, emagrecimento e inapetência);
  • Enterobius vermicularis: prurido anal;
  • S. stercoralis: infecção grave com sepse em desnutrido;
  • Diphyllobothrium latum: tênia do peixe cru;
  • Toxocara canis: asma, eosinofilia, hepatomegalia;
  • Para os concursos, lembre-se que paciente acima de 3 anos que se apresenta com asma, hepatomegalia, eosinofilia e IgE elevada deve ter o diagnóstico de toxocara levantado.

O que você precisa estudar?

Alguns tópicos que são recorrentes nas provas de residência são a amebíase pode cursar com complicações como amebomas (granulomas amebianos na parede do intestino grosso), abscesso hepático, pulmonar ou cerebral, empiema, pericardite e colite fulminante com perfuração, sendo que a complicação mais frequente é o abscesso. O método Barmann – Moraes é um método que detecta larvas vivas, através do hidrotropismo e termotropismo positivo. A síndrome de Loeffer é o comprometimento do trato respiratório associado à eosinofilia e alteração radiológica, causada por infecção parasitária, devido ao ciclo pulmonar de alguns parasitas (chave mnemônica NASA):

  • Necator americanos;
  • Ascaris lumbricoides;
  • S. stercoralis;
  • Ancylostoma duodenal.

Para as provas, você precisa saber sobre o tratamento: a ivermectina é indicada para o tratamento de estrongiloidíase intestinal, oncocercose, ascaridíase, filariose, pediculose, escabiose. O metronidazol está indicado no tratamento de giardíase, amebíase, tricomoníase, vaginose bacteriana, infecções causadas por bactéria anaeróbias. O albendazol, cambedazol e tiabendazol e ivermectina são utilizados para tratar a estrongiloidíase (sendo que a primeira é recomendada para gestantes, e a última para crianças). As medicações usadas no tratamento da neurocisticercose são albendazol e praziquantel. 

 Agora, você já pode assistir à aula, ler o capítulo e fazer as questões de provas!